OBRIGADO PELA VISITA!

FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO!

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

NASCIMENTO DE ALLAN KARDEC: 03 DE OUTUBRO DE 1804

O dia 03 de outubro é profundamente relevante para os espíritas. Nesta mesma data, no ano de 1804, em Lyon, França, às 19 horas, nasceu aquele que, 51 anos depois, começaria a receber dos Espíritos Superiores o conjunto dos ensinamentos que compõem o Espiritismo, para organizá-los e dar-lhes publicidade na forma de livros.

Referimo-nos a Hippolyte Léon Denizard Rivail que, de forma magistral e intimorata, dando o melhor de si, aplicando os seus grandiosos e reconhecidos recursos morais e intelectuais, cumpriu com fidelidade a abençoada missão de disponibilizar aos contemporâneos e à posteridade a abençoada, eminentemente esclarecedora e consoladora Doutrina Espírita, sob o pseudônimo de Allan Kardec.

Com essa majestosa tarefa Hippolyte Rivail foi valiosíssimo agente superior que permitiu fosse cumprida uma promessa do Cristo de dois mil anos atrás. O Cristo prometera (JO 14:15 a 17 e 26) que o Pai Celeste, por solicitação sua, enviaria outro Consolador para ensinar todas as coisas e fazer lembrar o que Ele havia ensinado.

A humanidade, daquela parte até o século XIX, evoluiu, conquistando o ensejo de receber aqueles ensinamentos que Jesus não pode transmitir e, no mesmo período, também, os ensinamentos crísticos originais foram deturpados, perdendo sua força libertadora junto à humanidade. Basta se veja que a instrução cristã de que a conquista da vida eterna depende necessariamente da prática pura e incondicional da caridade (Lc 10:25 a 37) foi substituída pelo culto externo, pela “salvação” adquirida a peso de ouro e de moedas.

Não é preciso ser muito inteligente para ter tal percepção, a não ser que se queira tapar o sol com uma peneira. A História Geral é rica de informações sobre o que escrevemos. Quem pode a esta altura negar a venda de indulgências? Ou os morticínios em nome de Deus perpetrados pelos inquisidores? Ou as vultosas cobranças pecuniárias em troca dos benefícios celestes nos templos ditos de oração e louvor?

O Espiritismo ou Doutrina Espírita veio na época aprazada cumprir a promessa solene do Cristo, ensejando-nos conhecer os ensinamentos esquecidos e muitos outros que já podemos absorver.

A Doutrina Espírita resgatou o Cristianismo das impurezas com que as paixões humanas o sepultaram. Este resgate lhe restitui sua força libertadora. Desfraldando a bandeira “Fora da caridade não há salvação”, o Espiritismo busca realizar o que afirmaram os Espíritos Superiores:

“Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou” (LE Questão 673).

Todos hão de convir que para realizar um trabalho desse porte deveria ser escolhido espírito de grande evolução, com credenciamento conquistado ao longo de milênios, sobrepujando vicissitudes, dores e sofrimentos.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

185 ANOS DO NASCIMENTO DE BEZERRA DE MENEZES

Osvaldo Ourives
bezerra

A  mensagem  mediúnica  “O  Futuro do Espiritismo”, publicada  na  2ª Parte do livro Obras Póstumas, de Allan Kardec, afirma no seu início:
“O Espiritismo foi chamado a desempenhar imenso papel na Terra”.

Na resposta à Questão 627, de “O Livro dos Espíritos”, também de Kardec, os Espíritos Superiores registram:
“Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou”.

O Espiritismo, fruto do trabalho inefável da Espiritualidade Superior com o apoio indispensável dos encarnados, veio resgatar as lições e a ética do Cristo das ruínas em que foram sepultadas pelas conveniências e paixões humanas, disponibilizando aos seus interessados os recursos necessários à regeneração da humanidade terrestre.

A conquista da referida regeneração será o resultado do esforço solidário incessante e espontâneo de encarnados e desencarnados cônscios do seu alcance, através de ensinamentos e exemplificações da prática verdadeira das leis morais divinas.

O Espiritismo tendo surgido na França a partir de 18 de abril de 1857 necessitou, para sua consolidação e divulgação, do apoio de pessoas em muitos outros países, reencarnadas para tal missão.

Em 29 de agosto de 1831 nasce no Ceará Adolfo Bezerra de Menezes que, conforme ressalta Humberto de Campos no livro “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”, veio à terra com a tarefa de trabalhar para que a Doutrina Espírita, então nascente,  pudesse criar raízes no solo pátrio e frutificar.

Foi realmente notável, magnífica e extraordinária a missão desse homem junto ao Espiritismo que, possivelmente, não teria atingido o seu estágio atual sem o seu precioso concurso.
Tendo concluído o estudo básico na sua terra natal, aos 20 anos incompletos o rapaz Bezerra de Menezes deixa o Nordeste e transfere-se para o Rio de Janeiro, onde estudou Medicina, carreira da sua vocação, concluindo o curso em 1856.

Casa-se em 1858 com D. Maria Cândida de Lacerda, a qual desencarna cinco anos após. Volta a casar-se em 1865.

Dr. Adolfo Bezerra de Menezes foi renomado médico, atuou na política, sendo eleito várias vezes Vereador e Deputado. Foi também escritor, jornalista e bem sucedido empresário na área da construção de ferrovias.

segunda-feira, 21 de março de 2016

MENSAGEM DE EURÍPEDES BARSANULFO POR SUELY CALDAS SCHUBERT

RECEBIDA EM 14 SET 1983, MAS QUE SE AJUSTA PERFEITAMENTE AO MOMENTO CAÓTICO POR QUE PASSA O NOSSO PAÍS!

Irmãos Queridos,
Diante dessa crise que se abate sobre o nosso povo, face a essa onda de pessimismo que toma conta dos brasileiros, frente aos embates que o país atravessa, nós, os seus companheiros, trazemos na noite de hoje a nossa mensagem de fé, de coragem e de estímulo.
Estamos irradiando-a para todas as reuniões mediúnicas que estão sendo realizadas neste instante, de norte a sul do Brasil. Durante vários dias estaremos repetindo a nossa palavra, a fim de que maior número de médiuns possa captá-la.
Cada um destes que sintonizar nesta faixa vibratória dará a sua interpretação, de acordo com o entendimento e a gradação que lhe forem peculiares. Estamos convidando todos os espíritas para se engajarem nesta campanha.

domingo, 5 de julho de 2015

QUANDO...

Rubens C. Romanelli

Filho meu!

QUANDO, nas horas de íntimo desgosto, o desalento te invadir a alma e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-me: eu sou aquele que sabe sufocar-te o pranto e estancar-te as lágrimas;

QUANDO te julgares incompreendido dos que te circundam e vires que, em torno, a indiferença recrudesce, acerca-te de mim: eu sou a LUZ, sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus sentimentos;