OBRIGADO PELA VISITA!

FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

185 ANOS DO NASCIMENTO DE BEZERRA DE MENEZES

Osvaldo Ourives
bezerra

A  mensagem  mediúnica  “O  Futuro do Espiritismo”, publicada  na  2ª Parte do livro Obras Póstumas, de Allan Kardec, afirma no seu início:
“O Espiritismo foi chamado a desempenhar imenso papel na Terra”.

Na resposta à Questão 627, de “O Livro dos Espíritos”, também de Kardec, os Espíritos Superiores registram:
“Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou”.

O Espiritismo, fruto do trabalho inefável da Espiritualidade Superior com o apoio indispensável dos encarnados, veio resgatar as lições e a ética do Cristo das ruínas em que foram sepultadas pelas conveniências e paixões humanas, disponibilizando aos seus interessados os recursos necessários à regeneração da humanidade terrestre.

A conquista da referida regeneração será o resultado do esforço solidário incessante e espontâneo de encarnados e desencarnados cônscios do seu alcance, através de ensinamentos e exemplificações da prática verdadeira das leis morais divinas.

O Espiritismo tendo surgido na França a partir de 18 de abril de 1857 necessitou, para sua consolidação e divulgação, do apoio de pessoas em muitos outros países, reencarnadas para tal missão.

Em 29 de agosto de 1831 nasce no Ceará Adolfo Bezerra de Menezes que, conforme ressalta Humberto de Campos no livro “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”, veio à terra com a tarefa de trabalhar para que a Doutrina Espírita, então nascente,  pudesse criar raízes no solo pátrio e frutificar.

Foi realmente notável, magnífica e extraordinária a missão desse homem junto ao Espiritismo que, possivelmente, não teria atingido o seu estágio atual sem o seu precioso concurso.
Tendo concluído o estudo básico na sua terra natal, aos 20 anos incompletos o rapaz Bezerra de Menezes deixa o Nordeste e transfere-se para o Rio de Janeiro, onde estudou Medicina, carreira da sua vocação, concluindo o curso em 1856.

Casa-se em 1858 com D. Maria Cândida de Lacerda, a qual desencarna cinco anos após. Volta a casar-se em 1865.

Dr. Adolfo Bezerra de Menezes foi renomado médico, atuou na política, sendo eleito várias vezes Vereador e Deputado. Foi também escritor, jornalista e bem sucedido empresário na área da construção de ferrovias.